segunda-feira, 17 de julho de 2017

"The Tragedy of the Commons"





"The Tragedy of the Commons"


O Dr. Dylan Selterman, professor de psicologia na universidade de Maryland, oferece aos alunos melhorarem a nota final bastando acertar uma entre duas opções. A pergunta é se os alunos desejam que ele acrescente entre 2 e 6 pontos na qualificação final. Porém, se mais de 10% da classe pedir 6 pontos, ninguém obterá nenhum ponto.


O resultado é o que a Teoria propõe. A Tragédia dos Comuns foi formulada por Garrett Hardin em 1968. Ela descreve uma situação em que os indivíduos motivados apenas por interesses pessoais, atuando de forma independente e racionalmente, destroem um recurso comum.


Fala-se que quando nasce um bebe ele vem sem manual de instruções. Na verdade, o manual já está dentro dele e chama-se Intuição. Um canal sempre aberto, mas que é preciso silêncio para se escutar. E não se pode racionalizar. O que os estudantes do curso acima fazem. Eles escolhem racionalmente de acordo com seus interesses particulares. Que é exatamente o que falo que o ego faz. E é isso que cria os problemas. O Equilibro de Nash provou a mesma coisa e o Dilema do Prisioneiro também.


A dois mil e quinhentos anos mais ou menos isso já foi explicado detalhadamente. Lao Tsé e Sidarta Gautama, O Buda, explicaram que quando se solta se tem e que quando se prende se perde. Todo vendedor deveria saber disto na “palma das mãos”. Toda vez que se pressiona um cliente a probabilidade de perde-lo é gigantesca. Ponha pressão e o cérebro reptiliano reage na hora. Experimente dizer para um crocodilo que ele deve deixar os gnus atravessarem o rio.


A única solução que existe é soltar. Soltar como convicção pessoal, soltar emocional e racionalmente. Desapego. Os interesses do ego vão contra tudo isso, vão contra as leis que regem o universo. Coloque numa ilha cães e cabras. O que acontecerá? Os cães comerão todas as cabras e morrerão de fome porque não existem mais cabras. O que aconteceu na Ilha da Páscoa? A mesma coisa. Derrubaram todas as árvores até destruir o meio ambiente. Infinitos exemplos.


Cada um está olhando só os próprios interesses e acha que não haverá consequências disto. Entre estudar e passear o que fazer? Entre trabalhar e “enrolar tomando n cafés”? Entre manipular ou não? Entre escravizar ou não? Entre explorar ou não? São mínimos detalhes que somados destroem o que todos querem individualmente. Por exemplo, para os chineses chegarem no nível dos americanos de hoje, são precisos dois e meio planetas Terra! Só temos um! E os chineses estão trabalhando arduamente para chegarem lá e precisam de mais dois e meio! E os terrestres já estão gastando 1.4 planeta Terra. Sacando do futuro. Do mercado futuro.


Uma coisa que talvez a maioria ainda não percebeu é que dinheiro só vem quando não se tem apego por ele. Quando o dinheiro não tiver mais importância ele virá. Enquanto a pessoa põe pressão para ter ela vive numa escassez de recursos. Lutando pela sobrevivência. Como se chegou nisso? Como uma pessoa fica endividada? Qual foi a motivação para fazer dívidas? Qual foi o apego? O que ela não soltou? Caso tivesse soltado não teria dívidas e não estaria numa situação complicada. Dinheiro só vem quando não significa mais nada. Aí vem. O sucesso só vem quando não significa mais nada. Essas são leis universais.


Quando colocamos os interesses particulares acima de tudo contrariamos essas leis e os problemas aparecerão na certa. Só questão de tempo. Por isso esses Avatares explicaram tanto que é preciso soltar, desapegar-se, etc. Quanto mais pressão e ansiedade menor o resultado conforme o Experimento Zeno mostra. A atenção concentrada paralisa tudo. E ansiedade é um medo imenso que paralisa da mesma forma. Se você está num campo e uma vaca corre em sua direção o que você faz? Fica paralisado? Em quanto tempo reage? Pegue uma caneta na mão, se uma pessoa disser para soltar em quanto tempo você solta? Já fiz esse teste nas palestras e levam segundos para soltarem. Isso é o apego.


É aquele desejo de que “quero porque quero”. Por mais que se explique que aquilo não é viável ou é impossível a pessoa “quer porque quer”. Isso é o ego acima de tudo. Quando o Titanic estava começando a adernar o que a banda de música fez? Foram para o convés e continuaram tocando até o fim. Isso é soltar. Isso é Iluminação Espiritual. Isso é aceitar o inevitável com serenidade. Sem protestos, sem se debater, sem reclamar, sem xingar, sem maldizer, etc. Este é o nível em que se tem de chegar. E eles provaram que é possível ser assim. Eles não foram arrancar as mulheres e crianças dos botes. O que seria do interesse particular deles no momento. Ficar vivo a qualquer custo. Eles foram capazes de contrariar o cérebro reptiliano e soltar a vida em prol dos demais.


Toda vez que a pessoa começa a pensar “tenho que vender”, “tenho que ganhar”, “vamos enfiar o produto na goela do cliente”, “quero a promoção de qualquer jeito”, “custe o que custar”, “tem que dar certo”, “desta vez vai”, “depois do carnaval anda”, “ano que vem melhora”, “a ferro e fogo”, significa por pressão para que algo aconteça. E isso vai contra o fluxo do universo. A Teoria do Caos não funciona assim. A oscilação é normal e natural. Ter de vender sempre, ter crescimento linear eterno é uma coisa que simplesmente não existe. É querer sair do buraco puxando os próprios cabelos!


Por isso foi dito que quando quiserem que você ande uma milha ande duas! Quando quiserem a túnica solta a capa! Quanto menor a resistência mais se avança. É um conceito profundo isso. Não é derrotismo, nem fraqueza, nem negatividade. Pelo contrário é uma força tremenda poder fazer isso. Soltar. Só os fortes soltam.


O conceito de rendição e entrega é a mesma coisa. É o soltar. Quando a pessoa se rende ela entra em fluxo. E só o fluxo permite o crescimento pessoal em todas as áreas. Sem pressão, sem ansiedade, sem desespero, etc. 


Quando Nietzsche falou sobre o super homem do futuro, ele estava falando do homem individuado. Isso não foi entendido. O homem individuado é o que está unificado. Está completamente integrado. Seu ego desapareceu, está fundido com o Self. Existe outra coisa no lugar do self. Só existe a fusão do self com o Self. O super herói americano Superman é uma estória que exemplifica isso. O que faz o Superman? Ele procura os seus próprios interesses? Ele só trabalha e vive para ajudar a humanidade. Seus superpoderes só servem para ajudar. Vive disfarçado e sempre que é necessário ajuda. Sem que ninguém saiba quem é ele. “Que a sua mão esquerda não saiba o que a direita faz”. Ajudar sem alarde. 


Hélio Couto


terça-feira, 2 de maio de 2017

Calcinatio



Texto de um e-mail recebido:


Calcinatio

O Universo é cheio de surpresas mesmo! Quando menos você espera, vem uma avalanche e faz com que seu mundo vire do avesso. Claro, na sua concepção. Na visão do Todo, ele está "consertando" os erros do ego.


Nós, seres humanos temos o hábito da vitimização: "a culpa é dos outros", "o que eu fiz para merecer isso", etc. Mas, mal sabemos que tudo o que nos acontece, de bom ou ruim, é fruto dos nossos próprios atos, pensamentos e "quereres". Quando desejamos algo, não temos a ideia de que, no exato momento do desejo colapsamos a função de onda e o Vácuo Quântico (o Todo) faz o resto. Portanto, ao termos pensamentos negativos, reclamar, desejar o mal à alguém, entre outros, podemos ter a certeza de que aquela energia se voltará para nós. Todo mundo quer a prosperidade, a felicidade e uma vida tranquila, mas não tem a noção do que está por trás desses desejos. Somos os responsáveis diretos por nossos caminhos e destinos. Vivemos num planeta de dualidades. Conhecemos a luz por causa das trevas, o bonito pelo feio, a sabedoria por conta da ignorância, a saúde pela doença, e assim por diante. Mas uma coisa muito considerável em nossa vida é constatar que existe a felicidade através da infelicidade. Nos sentimos felizes quando temos emprego, saúde, dinheiro no banco, família, amor e amizades. Mas será que somos capazes de trabalharmos isso interna e conscientemente para alcançar mais e mais esse estado "feliz"? Por que então precisamos passar por coisas ruins na vida? Para reconhecermos ou dar valor às coisas boas? Penso que todos temos um "carma" (vou nomear assim nossos percalços...), dívidas de vidas passadas e inquietudes. Se viemos para "pagar" um carma, necessariamente temos que sofrer?


Podemos olhar ao nosso redor quantos relacionamentos afetivos estão fadados ao fracasso, doenças a exemplo dos cânceres que atingem pessoas de todos os níveis sociais, gênero e idade, catástrofes naturais que literalmente arrasam cidades inteiras. Poderia ser tudo diferente se entendêssemos, de uma vez por todas que todos nós viemos de uma única fonte. Somos uma parte do Todo. Temos a Centelha Divina dentro de nós, enfim, que somos todos irmãos. Ao longo da vida passamos e passaremos por problemas dos mais variados tipos. Esses problemas, em termos alquímicos são chamados de Calcinatio. Este é o primeiro estágio da "depuração" do ego. Aprendemos com as dificuldades, ou ao menos é o que se espera; que consigamos parar com a "tentativa e erro". Um exemplo disso seria quando se termina um relacionamento. Você não quer mais que aconteçam as mesmas coisas com os próximos. A Calcinatio aconteceu para você enxergar o que havia de errado e então, não errar mais, avaliar comportamentos e amadurecer. Agindo assim, todo esse processo sai mais barato. É deixar o ego de lado e soltar, isto é, entregar-se nas mãos do Todo. Entrar no rio e deixar-se levar pela água sem se debater.


A Calcinatio consome tudo o que é negativo. Ela é como um moedor. Num primeiro momento ela mói o trigo e o transforma em farinha. Mas essa farinha, para ser pura precisa ser moída várias vezes. E, depois de todos os processos de moagem teremos uma farinha pura. E assim somos nós. Passaremos pelo processo de calcinação até estarmos purificados, individuados, em fase com o Todo. Todos temos o tempo certo para que isso ocorra. Uns precisam ser "moídos" mais vezes, outros menos. Só há um porém: é preciso que o indivíduo queira ser purificado. Eu tomo como exemplo meu próprio caso. No momento que descobri ser portadora de espondilo artrite me desesperei. "Por que eu?" Ora, quanta ilusão... Não tinha a noção de que eu poderia "crescer" com isso e me tornei vítima da doença. Mas, uma frase da minha médica na época fez toda a diferença: "Quanto mais feliz você estiver, menos dores você irá sentir". Bingo! Ela me deu o exemplo de outra paciente que se fechou para o tratamento porque achava que, estando doente e com dores, teria mais atenção dos seus familiares. Então, essa pessoa não quer ser tratada, recusa o Amor e prefere ficar na zona de conforto, mesmo sofrendo. A calcinação acontecerá a qualquer momento que o ego desejar ser calcinado. Será o Amor Divino tomando conta desse ego.


Num momento mais recente, eu tinha meu emprego "estável", minhas economias e tudo o mais. A crise chegou na empresa em que eu trabalhava e fui demitida. Entrei em outra empresa e o ambiente era o mais turbulento possível. Inconscientemente eu desejava todos os dias sair de lá. Até que fui demitida novamente, minhas reservas se foram... Era a Calcinatio me "moendo". Estou compartilhando esse exemplo particular para mostrar que, por mais horríveis que sejam os fatos na sua vida, você está e sempre estará amparado pelo Amor do Todo. Ele é só amor, aliás, Ele É Amor! E mesmo com todos esses acontecimentos eu fui acolhida. A ajuda chegou de onde eu não imaginava. Um simples abraço de um amigo fez com que viesse à minha mente a seguinte frase: "nunca mais serei a mesma!" Eu fui debitada, então chegou a hora de fazer o mesmo e ser creditada! Esse foi o momento de decisão pela individuação, de servir ao Todo. Essa jornada é dura, a qual na verdade mal comecei.


O processo de iluminação se dará a cada um no devido momento, quando se transcender a Calcinatio. Estamos todos aprendendo. A iluminação não ocorrerá pela mente e sim pelo sentimento, pela vivência real. 


Você já chorou de vergonha? Eu já. Vergonha de pensar que meu sofrimento era o maior do mundo. Aí, você olha ao seu redor e constata que existem outros seres além de você e que cada um precisa de sua ajuda. Às vezes, uma palavra, um afago, um momento de parar e ouvir o seu irmão vai bastar para melhorar o dia de alguém para que este também se desperte para o processo de iluminação.


O que precisa haver é a transformação do ego; ter a humildade e perseverança nos estudos da Alquimia e reconhecer que a Prima Matéria é o Vácuo Quântico que por sua vez é o Todo! Que sentir Amor Incondicional é ter compaixão pelos demais seres. Essa é a Realidade Última. A expansão da consciência é um caminho sem volta e quanto mais consciência, mais responsabilidade perante aos irmãos!

Texto de um e-mail recebido.
Curso "Alquimia Consciencial" on-line: www.cursosheliocouto.com.br

segunda-feira, 27 de março de 2017

Alquimia consciêncial III



Alquimia Consciêncial III

Calcinatio

Quanto vale conhecer Alquimia? Quanto vale não cometer os mesmos erros vez após vez?

Quanto vale saber como funciona o universo?

Os alquimistas gastaram séculos de pesquisa para compreender a fundo o que o ser humano pode esperar do universo. Que atitude deve tomar em relação a tudo. Sempre foi um segredo. Mas, estamos numa época em que isso pode ser revelado.

Existem vários procedimentos alquímicos que explicam como funciona o universo. Eles podem ser usados ou acontecem em qualquer ordem. Para ser didático é que escolhemos primeiro a Calcinatio. Que é como o ser humano aprende o real valor das coisas e o que é realmente importante. É uma limpeza no mais alto grau. E uma preparação para a Iluminação Espiritual. O resultado é uma vida em que acertamos mais do que erramos. A tentativa e erro desaparece. É o primeiro passo extremamente importante.

Veja também o vídeo "Transcender a Calcinatio" >>>>>> http://cursosheliocouto.com.br/curso/transcender-a-calcinatio/

Hélio Couto
www.alquimiaconsciencial.com.br

domingo, 5 de março de 2017

Projeto Arquétipos em ação XIV Inteligência de Mercado II




Projeto Arquétipos em ação XIV


Inteligência de Mercado e Arquétipos II


Arquétipo “Homem de Negócios”


Existe um Arquétipo “Homem de Negócios”. A existência deste Arquétipo foi mantida em segredo até hoje por motivos óbvios. Seu conhecimento é extremamente valioso, pois como ele tem acesso aos Arquivos Atemporais, conhece o passado, presente e o futuro. Além de qualquer outro conhecimento, já que tudo o que aconteceu, acontece e acontecerá está gravado. É fácil de entender isso quando se conhece as Ondas de Possibilidades que se transformam em Ondas de Probabilidades. Ele conhece tudo isso. 


Cada decisão tomada, cada pensamento emitido, cada ação desencadeada provoca inevitáveis ondulações no Continuum espaço/tempo. Newton disse que se conhecêssemos o movimento de todas as partículas do universo poderíamos saber o futuro. Heisenberg disse que isso é impossível, pois não dá para saber a posição e o momentum de cada partícula. O Princípio de Incerteza. Ele estava certo e isso é um dos fundamentos da Mecânica Quântica. Porém, se conhecêssemos cada Onda de Possibilidade seria possível saber o futuro por mais futuros prováveis que existam ou venham a existir. Essas ondulações acontecem em todas as dimensões da realidade e ondulam por todas elas sem barreira alguma. Tudo está interconectado.


Agora chegamos num ponto da História em que é possível saber da existência dele. Da mesma maneira que a milhares de anos o conhecimento dos Sumo Sacerdotes egípcios era segredo absoluto e hoje é passado abertamente para a humanidade atual, chegou o momento dele também ser conhecido.


Continua...

Hélio Couto

sexta-feira, 3 de março de 2017

Inteligência de mercado I



Inteligência de mercado I

O significado desta expressão é definir uma série que habilidades que permitem prever o comportamento do mercado. Isso tem evidentes vantagens competitivas. Isto é, resultados econômicos.

O que é o mercado?

Ele é composto de que?

Como se comporta?

Qual a sua dinâmica?

Que regras ordenam isso?

Como podemos prever seu comportamento?


Etc.


Todas essas questões são muito interessantes para pessoas que atuam no mercado para ter ganhos econômicos.


Continua...

quinta-feira, 2 de março de 2017

Construindo os 7 corpos I

Construindo os 7 corpos I


Nunca é demais repetir que entender como funciona o Universo é fundamental. Recordemos alguns fatos: antes que existisse algo existia o Todo como pura energia. Nesta energia não existiam partículas, nem bósons, nem átomos, etc. Apenas o Nada pleno de potencial infinito. O Vácuo Quântico. De onde tudo emerge. Portanto, o Todo é tudo-o-que-existe antes que venha existir algo. Em seguida foram emanados os Arquétipos Primordiais. E depois disto os seres para evoluírem. Esta é uma descrição simplificada para facilitar o entendimento.


Quando os seres foram emanados com a Centelha Divina, que é uma parte do Todo, esta Centelha foi “recoberta” com uma suave estrutura que permitiria a evolução dos 7 corpos. Estes corpos são: físico, duplo etérico, astral, mental, causal, búdico e átmico. É evidente que estes 7 corpos têm substância, forma, conteúdo, etc. Alguns são substituídos em cada reencarnação e outros permanecem.


A questão aqui é que quando eles são formados pela primeira vez são apenas uma estrutura onde se deve acrescentar as vivências, experiências, conhecimentos, débitos, créditos, etc. A Centelha Divina está no “centro” disso tudo. Pois bem, a construção destes corpos depende de cada um de nós. Nossas escolhas é que colocam conteúdo nesses corpos. Nós construímos isso a cada segundo de existência com nossos pensamentos, palavras e obras. Estes corpos podem se tornar belíssimos ou não. Pode demorar muito ou não. As infinitas possibilidades estão presentes aqui. Tudo depende de nossas escolhas. Nós plantamos nós colhemos. O livre arbítrio é nosso. Porém, se tudo ficasse restrito à razão pura o risco de estagnação seria enorme, para evitar isso os Arquétipos foram emanados para pôr uma dinâmica nessa evolução.


Estamos dentro de uma vivência mítica e arquetípica. Falando de outra forma, estamos vivendo estórias e criando história. Somos cocriadores desta história e os Arquétipos nos conduzem e ajudam nessa jornada mítica. O corpo de Luz que potencialmente todos podemos ter depende das nossas escolhas segundo após segundo. Não existe limite até onde podemos criar os 7 corpos. Podemos elevar a vibração até níveis inimagináveis. Tudo dependendo dos sentimentos que emanamos. Da mesma forma que tudo depende da emanação do Todo que sustenta tudo a todo momento.


Tudo que fazemos também é informação que colocamos nos 7 corpos. Nós decidimos que informação queremos colocar e desta forma in-formar os 7 corpos.


Continua....






O Poder de soltar XVIII



O poder de soltar XVIII


O filme “The Admiral: Roaring Currents” mostra a guerra entre o Japão e a China em 1597 e como o Almirante Yi Sun-Shin comandou a luta naval com 12 navios contra 330 dos japoneses. É um filme de guerra, mas mostra a questão filosófica.


Como foi possível enfrentar com tal disparidade de forças? 


Como vencer o medo?


Como transformar o medo em coragem?


Sua estratégia mostra o extremo valor que tem o soltar. Tanto na guerra como em qualquer outra atividade o poder de soltar é insuperável.

Hélio Couto

Projeto Arquétipos em ação XIII Criatividade I



Projeto Arquétipos em ação XIII


Criatividade I


Este projeto foi idealizado para que se possa entender o que é um Arquétipo, como eles são e que simbiose podemos ter com eles. 


James Hillman, extraordinário analista junguiano disse: “a psique está governada por potencias arquetípicas, que se representam miticamente nas figuras dos deuses”. “O que se manifesta em nossa psique não é de nossa psique; pertence ao reino da realidade arquetípica. ” “Por mais que sintamos como nossa propriedade, são poderes arquetípicos que encontram sua morada, nos eventos transpessoais que paradoxalmente formam a base da personalidade”. Esta citação é uma parte apenas de um texto mais longo, mas serve para ilustrar o que queremos expor.


Os Arquétipos foram emanados antes de que tudo viesse a existir. Por isso Platão disse que são as ideias primordiais. O universo é uma ideia na mente do Todo e eles são as ideias primordiais. A realidade que se vive sempre é mítica e mantida por Arquétipos. Quanto mais abstrata uma ideia mais poderosa ela é. A questão para nós é como passar uma ideia abstrata para a realidade do dia a dia. É aí que mora o segredo de tudo. 


Por exemplo, o que se chama Inteligência de Mercado é um Arquétipo que percebe, analisa e entende perfeitamente o que aconteceu, está acontecendo e acontecerá. Ele tem a visão perfeita das causas e efeitos.


Uma função implícita de todo Arquétipo é a criatividade. A criatividade é inerente ao universo e permeia tudo. A criatividade resolve todos os problemas e propicia as ideias para a prosperidade infinita. Dadas as condições corretas a criatividade jorra sem parar trazendo novas ideias de negócios, serviços, produtos, soluções, invenções, etc. A Psique é pura criatividade em ação. A criatividade também está moldando a Psique. O tempo todo a Psique está realizando um trabalho de auto evolução e usa a ressonância da criatividade para mudar a si mesma. Esta é uma atividade arquetípica e mítica. Todos estamos vivendo um determinado mito e vivenciando determinados Arquétipos. Isto faz parte do projeto do Universo e de cada ser que o habita. Isto força o crescimento e a evolução de cada um e do universo como um todo. Até aqui tudo bem, mas, e quando as coisas emperram? É nesse ponto que a criatividade é fundamental. Ela está trabalhando para desemperrar as coisas e instiga a psique para que haja para resolver a questão. Todo problema é uma oportunidade de crescimento. 


O que limita a criatividade é o trabalho que uma determinada psique estiver realizando ou não realizando. A psique deveria estar realizando o que propicia mais crescimento para a própria psique e para isso estimula a criatividade. Se isso não acontece é porque a psique coloca obstáculos à criatividade. A função da psique é construir a si mesma usando a criatividade intrínseca ao Universo.


Para que possamos fazer uma simbiose com um determinado Arquétipo e acrescentar mais conhecimento e poder à nossa psique é preciso que eliminemos qualquer protocolo de conduta que impeça a criatividade de vir à tona. Para fazer isso é preciso entender como a criatividade funciona. Estes conceitos estimulam a psique a deixar a criatividade trabalhar.


Quando convidamos um Arquétipo a trabalhar conosco (com nossa psique) tem de haver de nossa parte a atitude de livre arbítrio de permitir a simbiose com o Arquétipo. É uma união de energias, informações, poderes, habilidades, capacidades, etc. que produz um resultado espetacular. Mas, para que a simbiose ocorra é preciso que haja um fluxo de energia arquetípica que propicie isso. Portanto, a primeira coisa é permitir que a energia primordial flua sem restrições na psique. Esta simbiose tem de ocorrer no nível sub quântico da realidade. No nível das ideias primordiais. É ai que os fundamentos da nossa psique estão. Evidentemente que nosso fluxo deve estar livre de obstáculos nesse nível sub quântico, onde ainda não existem os átomos nem as partículas. Só existem as Ideias Primordiais. O que faz esse fluxo funcionar são os sentimentos. É por isso que os Arquétipos são um turbilhão de sentimentos. Somente com os sentimentos é que eles podem ser o que são.


Continua...

Videos editados I


Ninguém está autorizado a editar meus vídeos e fazer montagens, cortes, adições ou qualquer outra manipulação com as imagens das palestras.

Somente com autorização por escrito alguém pode usar minhas imagens.

Isso já foi dito na palestra passada e já postei sobre isso.

Quem está fazendo isso está prejudicando o trabalho.

Existe uma estratégia de divulgação feita por mim e que está sendo seguida à risca.

Todos os vídeos editados por outras pessoas devem ser tirados de qualquer mídia em que estiverem.

Postagens populares

Marcadores